La vie

Nada de novo sob o Sol Todas essas certezas As ambições A mais ínfima sensação Tudo Já sucumbiu sob a mesma luz Infinitas coisas Vãs e imorais Outras tantas Camufladas Dissimuladas De bem querer De boa coisa Sob este Sol Não há nada bom Talvez Ainda nasçam coisas boas Mas todas morrem vis Todas morrem... Continue lendo →

ESTA TERRA SELVAGEM – Isabel Moustakas

Desenvolvi um joguinho comigo mesma, para descobrir novos livros. Quando eu chego mais cedo na livraria (e por acaso tenho algum dinheiro), escolho uma prateleira ou todas, fecho os olhos e corro os dedos pelos livros até parar em algum aleatoriamente. Quando estou nesse jogo, ler o livro é obrigatório. Não dá pra trocar, ou... Continue lendo →

O HOMEM DE GIZ – C. J. TUDOR

Não sei se quem cai de paraquedas aqui no blog sabe que eu trabalho em uma livraria, pois bem, eu trabalho numa livraria. E, recentemente, teve um BOOM desse livro. A procura de O Homem de Giz me deixou chocada. E percebi que se você se desliga totalmente das redes sociais, vai desconhecer os livros... Continue lendo →

BLUE DEVIL – Grand Piano

Como todas as madrugadas das últimas semanas, religiosamente as três da manhã, Laura saía da cama. O problema com a insônia estava acabando com ela. Eu já sugeri todo o possível e imaginável para tentar ajudar. Feito chá, abraçado ela no sofá da sala em silêncio, até ficar chato e ela apelar para os livros.... Continue lendo →

Bela

Solte os cabelos Abandone os pudores Vamos nos despir De todas as máscaras De toda essa roupa De moralidade Deixe a mostra A sua alma Para ver se de fato Me atraio Por você Por esse seu lado O mais sombrio O lado real O único lado Que você guarda Sob toda essa beleza Vamos!... Continue lendo →

O fim

  O som ecoa no vácuo Pesado Pressionando os ouvidos A ouvirem o silêncio Respiração lenta Quase falsa Peito subindo Descendo Com dificuldade E o coração Martela Acelerado Como se esse fosse O último segundo Para bater para sempre A boca entreaberta Estremece Lábios dormentes Arroxeados As mãos suam Então Há o frio Arrepia a... Continue lendo →

A noiva

Ah! O amor. Maldito seja esse sentimento um tanto quanto macabro. Linda é sua metáfora. A ideia de que ele é divino e iluminado, que aquece os corações e os torna de fato, vivos. O amor, nada mais é que um vício infame que se entranha na alma do homem e rouba toda sua identidade... Continue lendo →

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑